Aeromodelismo - Diversão nos ares do interior do Ceará

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Aeromodelismo - Diversão nos ares do interior do Ceará

Mensagem por cineas em Seg 25 Jul - 6:27:42

Cada vez mais, a prática do aeromodelismo se multiplica pelo Estado. Diversão para a família

Quixadá. Conhecida internacionalmente pelos voos de asas delta e parapentes, a "Terra dos Monólitos", e dos ETs, começa a ter o seu espaço aéreo invadido por pequenas aeronaves. Podem ser vistas, principalmente, nos fins de semana. São aeromodelos, de diversos tipos, conquistando um número cada vez maior de adeptos por esse tipo de diversão. Além de Quixadá, a modalidade movida à eletricidade, se multiplica por dezenas de cidades espalhadas pelo interior do Ceará. Senador Pompeu, Sobral e Iguatu são algumas delas, comenta um dos pioneiros da prática no Sertão Central, Ronald Pinheiro.

O universitário Ericsson Oliveira se interessou pelo aeromodelismo ao ver o amigo Ronald manipulando um modelo a combustão alguns anos atrás
FOTOS: ALEX PIMENTEL

Apaixonado pela aviação, "Comandante Ronald", como é conhecido pelos amigos, confessa o interesse desde a infância. A paixão é tamanha que o e-mail dele tem como endereço: comandante737@msn.com, em alusão aos boings. Em 1998, comprou sua primeira aeronave, a combustão.
Recentemente, encontrou, em Fortaleza, modelos elétricos. Juntamente com o amigo Santiago Costa, descobriu como funcionam, onde adquiri-los, e não perdeu tempo. Além do custo, bem inferior em relação a outros hobbys, a praticidade e a facilidade de manutenção lhe despertaram ainda mais o interesse. Para ele, é o motivo do número crescente de adeptos, como ocorreu na época em que outros amantes do aeromodelismo, dentre eles, Helder Cidade, conseguiam reunir uma boa turma de praticantes.

Hoje, são mais de 30. Por conta do interesse, estão pensando em formar um aeroclube, de miniaturas, é claro, embora algumas delas possam chegar quase ao tamanho de uma aeronave real. Funcionam com motores de combustão. Mas no caso deles, a preferência é pelos modelos com motores elétricos. Além de não poluírem o ar, são muito práticos. O combustível é fornecido por baterias com autonomia para até 20 minutos de voo.
Material
Outra vantagem é o material usado na criação dos modelos. Geralmente, são de isopor, muito leves. Os iniciantes ou barbeiros não têm muitos prejuízos, devem tomar cuidado só para não cair dentro de lagos, açudes e locais de difícil acesso. No mais, controlar o "brinquedo" é como guiar um carrinho por controle remoto. A diferença está apenas na sensibilidade do "manobrador". A noção de espaço é mais acentuada, mas nada como algumas horas de prática, com a ajuda dos amigos, para se habituar. "Com pouco tempo é possível realizar rasantes e piruetas incríveis", acrescenta.

Eles acabam de conquistar um espaço adequado para os encontros. Poderão se reunir no Clube do Tiro Esportivo. O complexo, idealizado pelo empresário Francisco Correia Neto, também amante da modalidade, está sendo construído em uma fazenda, a pouco mais de 5Km do Centro da cidade. Por enquanto, a tenda e a biruta são móveis. As decolagens e pousos são feitos numa pista de terra batida. Mas em breve terão até um hangar. Chico Neto pretende construir uma pista de voo para o seu ultraleve Orion.

Chico Neto acredita na formação do clube da categoria como forma de fortalecer a prática desse tipo de diversão na cidade. Além de relaxante e saudável, é ideal para reunir as famílias. Além dos voos, poderão fazer piqueniques e até participar de competições acrobáticas e de voo toque. Uma muito divertida é a caça à raposa. Um aeromodelo decola com uma fita colada na sua cauda. Outra aeronave persegue a primeira e tenta cortar a fita com a hélice. Ganha quem conseguir cortar o maior pedaço da fita. A diversão é garantida.

Adesão
30 pessoas, aproximadamente, já praticam a modalidade na cidade de Quixadá. O número é crescente. Por conta do interesse, estão pensando em formar um aeroclube, de miniaturas é claro.

MAIS INFORMAÇÕES
Ericsson Aeromodelos: (88) 9937.8413/ Clube de Tiro Esportivo de Quixadá: (88) 9922.0484/ Centro Integrado de Modelismo: (88) 9995.6444

FÁBRICA E COMÉRCIO

Pilotos organizam produção e cursos

A procura pelo aeromodelismo, em Quixadá, tem incentivado comércio, cursos e centro exclusivo da área
Quixadá. O universitário Ericsson Oliveira se interessou pelo aeromodelismo ao ver o amigo Ronald manipulando um modelo a combustão alguns anos atrás. Um objeto daqueles, mais pesado do que o ar, subindo e descendo, sem ninguém a bordo, lhe impressionou. Mas não tinha dinheiro para montar o seu. Até começou a construir um, mas parou pelo meio do caminho. Recentemente, o amigo apareceu com um modelo movido à energia. Além da praticidade, o custo completo do equipamento é cinco vezes menor. Cabe no bolso. Apaixonado por eletrônica e mecânica, passou a estudar o funcionamento desse tipo de aparelho. Hoje, ele mesmo constrói as pequenas aeronaves.

Segundo o construtor, com R$ 670,00 um iniciante pode adquirir um kit completo. Além do aeromodelo, fabricado com uma espécie especial de isopor, o depron, parecido com o utilizado nas embalagens de frios, é preciso ter um motor elétrico sem bucha de 1.200 a 1.300 Kv, um carregador e uma bateria recarregável de três células e um rádio transmissor similar a um joystick de quatro a seis canais. Quem preferir pode adquirir uma bateria extra. Custa em média R$ 70,00. Ele atende à pedidos. A entrega é feita dentro de 30 dias.

Modelos à venda
Quem também comercializa aeromodelos e acessórios na região é o empresário David Holanda. Tem seis modelos à disposição. Ao adquirir algum de seus aviões, o piloto de primeira viagem poderá aprender a voar em um simulador virtual. Ele mesmo é o instrutor. "Só entrego o brevê quando passar nos exames", brinca. Ele também está construindo um clube, o Centro Integrado de Modelismo de Quixadá (CIMQ), exclusivamente para esse tipo de atividade. Além dos voos, os associados poderão praticar nautimodelismo, automedelismo e até motomodelismo. Estará aberto para todos os sexos e idades.

Para iniciantesDentre os tipos de aeromodelos mais comuns estão o Asa Alta, um avião planador de voo bastante lento e o mais indicado para iniciantes no esporte; o Asa Baixa, seguro para pilotos com um nível mais elevado, permite um ótimo desempenho em acrobacia em escala e apresentam-se em duas versões, uma delas com um metro de envergadura e a outra com 1,20m; o Katana, aeronave com a asa no meio, mais indicado para pilotos com um bom nível de pilotagem, pois permite manobras em 3D em alto desempenho.
Outro tipo de aeromodelos disponível está o Asa de Combate, modalidade nova, de excelente estabilidade e usada para combate entre os pilotos, onde têm a missão de enfrentar o "inimigo", pois tem baixo custo de manutenção e o Shock-Fly, também de baixo custo, de alto desempenho e alto nível de acrobacia, praticado a vento 0, ou seja, mais indicado para voos dentro de ginásios.

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1015364
avatar
cineas
Admin

Mensagens : 1633
Data de inscrição : 15/04/2009
Idade : 51

Ver perfil do usuário http://cineastv.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum